quinta-feira, 29 de abril de 2010

Os Dentes da Delicadeza

O próximo lançamento da Não Editora será o livro de poemas Os dentes da delicadeza, do poeta, redator publicitário e músico Éverton Behenck. Abaixo, a capa em sua versão final, que ainda terá um acabamento em relevo sobre o detalhe do dente-de-leão, o box e as sementes no centro. O design da capa é meu, com projeto gráfico interno de Guilherme Smee.

Da versão inicial até a versão final, mudanças drásticas. A primeira versão era claramente calcada em ilustrações de Eduardo Recife (pra quem não conhece o site dele, Misprinted Type, parada obrigatória). Além de uma profusão de texturas, foi utilizado uma série de brushes e vetoriais que o próprio Eduardo Recife disponibiliza pra download no site dele.
Mas menos é mais, e por ironia das coisas, a arte da contracapa acabou caindo no gosto do autor mais do que a própria capa, e seguimos nessa direção, trocando também a idéia da fonte manuscrita por uma letra que parecesse batida à máquina (a quem interessar possa, a fonte chama-se Traveling Typewriter, facilmente encontrada pra download em sites de fontes gratuítas). Quanto à versão não aprovada, é essa que vai abaixo, a título de curiosidade.

5 comentários:

Dodô disse...

Cara, quando tu citar algo, coloca o link lá.

Assim faz os teus leitores não terem que ir até o Google e isso faz a INTERNET funcionar. hehe

Curti a capa.

Abraço

Samir Machado disse...

Opa, falha minha, esqueci de passar o link (e ainda tinha escrito errado, eheh).

Daniel disse...

parabéns, samir!

a capa ficou muito bem resolvida. ficou com personalidade própria, coisa que talvez não ocorreria com a opção eduardo recife.
a solução tipográfia também ficou melhor, sem dúvida. não é sempre que se consegue utilizar uma fonte free.

mais uma boa capa pra a não editora.

e o projeto gráfico? poderia comentar ou mostrar algumas prévias?

abraços
daniel justi

Samir Machado disse...

Daniel,

A pedido do autor, o projeto gráfico foi bem minimalista. O Guilherme usou variações em torno do ícone do dente-de-leão e para páginas de abertura e as sementes como marcação dos poemas.

Em breve, nas livrarias, vai dar pra conferir!

Fabricio Miolaro disse...

Achei melhor a capa que foi descartada, pois aquela escolhida pelo autor me remete à capa do "Desencantado Carrossel", do Diego Grando, embora só por conta do verde. Mas todas bem bonitas!

AddThis