quinta-feira, 6 de maio de 2010

Menino de Engenho, 100ª edição

A Record divulgou recentemente o novo projeto gráfico para os livros de José Lins do Rego, a serem relançados pelo selo José Olympio Editora. O primeiro a sair é a edição comemorativa da 100ª edição de Menino de Engenho. O design é de Victor Burton e Allevato Botino.


As novas edições resgatam ilustrações originais do artista plástico, cenógrafo e ilustrador Tomás Santa Rosa, que trabalhou em livros de Jorge Amado, Raquel de Queiróz, Graciliano Ramos e do próprio José Lins do Rêgo, entre outros. O outro livro a aparecer já com o novo projeto de capa é Fogo Morto.

O que eu achei? Não me arrisco a opinar antes de ver o livro na prateleira. Quando a Companhia das Letras divulgou o projeto gráfico novo dos livros do Freud, eu pensei de imediato "nossa, que pobreza", mas quando vi os livros impressos - a capa dura em tecido, o acabamento da lombada, etc - tudo fez sentido. Tem coisas que uma imagem de divulgação não dá conta. Além do mais, é de Victor Burton que estamos falando, e o cara é foda.

3 comentários:

John Pardo disse...

As imagens não fazem justiça. As edições estão muito bonitas. A capa e o miolo se harmonizam muito bem. O papel é de um tipo diferente, parecendo papel reciclado de qualidade. Muito bonitas.

Anônimo disse...

A capa de menino de engenho está um terror, parece um papel envelhecido, como se estivesse amarelado por anos guardado e não simplismente um papel reciclado. Zé Lins merecia um tratamento melhor

niltonresende disse...

o Victor Burton foi o primeiro capista que conheci. foi a partir dele que comecei a prestar atenção às capas. isso na minha adolescência, quando eu lia os livros da Nova Fronteira.
eu via tantos livros "dele", que reconhecia suas capas antes mesmo de ver os dados sobre o livro.
depois, vi outros trabalhos, de outros profissionais, que, para mim, pareciam vir de uma escola burton de fazer capas.
admiro-o demais.

AddThis