quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Novas capas da Martin Claret

A editora dispensa apresentações tanto quanto traduções (que, aliás, agora são creditadas já na capa). Ao menos, fico aliviado por não ter nada minimamente rosa ou fúcsia até agora. É curioso comparar esse projeto com o utilizado pela Penguin Companhia. A comparação é válida, já que ambas tratam de condensar a informação dentro de uma tarja negra e deixar a ilustração trabalhar pela capa, como pela disposição do texto e uso de cor, as semelhanças são o bastante para supor que a Penguin tenha sido a referência, mas o projeto gráfico da Martin Claret acaba ficando poluído com a repetição da tag "coleção de bolso" mais o logo da editora - o vermelho se repetindo em cada página acaba atrapalhando mais do que ajudando, e o uso de letras maiusculas no início de cada palavra, mesmo sendo uma escolha facultativa, visualmente sobrecarrega o título dando uma pompa cafona. Note-se que isso não ocorre em todas as capas, só na de Guerra dos mascates e na A abadia de Northamptom (que não está aqui pois não achei uma imagem em boa resolução).







7 comentários:

Karla Nazareth disse...

A LP&M tem uma variacão desse tipo de capa também. É o porto seguro.

John Pardo disse...

Eu acho que é um salto extraordinário comparada às antigas capas. Não são perfeitas, mas não são o desastre completo que era a breguice predominante na editora.

Samir Machado disse...

Karla: também pensei nisso - na dúvida, não atravesse.

John: com certeza, uma evolução e tanto. Não são perfeitas (eu diria mais: não são excepcionais), mas já dá pra ler no ônibus sem ficar com vergonha do livro, o que é um avanço enorme.

.Djegovsky. disse...

É uma pena. Sentirei saudade daquelas antigas capas trash deles...

Elmo disse...

Sem acréscimos aos seus comentários. Você já achou todas as questões. Eles bateram na trave. Mas evoluíram bastante, mesmo.

Caroline Silva disse...

Resta saber se as traduções também evoluíram... rs

denise disse...

é, a inspiração é clara. eu tinha notado na capa da edição tripla da jane austen o uso da fonte da pia frauss, não sei se autorizado, e a cópia de uma capa inglesa antiga:
http://naogostodeplagio.blogspot.com/2010/11/o-lobo-perde-o-pelo.html

diga-se de passagem: seu blog é muito bonito e informativo!

um abraço
denise

AddThis