terça-feira, 23 de março de 2010

Muita Alice nessa hora

Com o hype criado em torno da adaptação (ou melhor, continuação) das aventuras de Alice dirigida por Tim Burton, editoras nacionais correm para colocar cada uma a sua versão da obra de Lewis Carrol nas prateleiras. O lado bom disso tudo: como o livro já é de domínio público, cada editora lança a sua tradução, fazendo a alegria de bibliófilos (a Livraria Cultura aqui de Porto Alegre, por exemplo, montou uma grande estante na sua entrada, reunindo todos os livros possíveis relacionados a Alice).

Em relação ao tratamento gráfico, parece haver duas abordagens nas edições de Alice no País das Maravilhas e de Através do Espelho e o que Alice encontrou por lá: as claramente voltadas para o público infantil, e as que visam um leitor adulto.


Edição da Zahar
A Zahar já havia lançado há alguns anos atrás a edição comentada de País das Maravilhas e Através do Espelho, completa com ilustrações originais de John Tenniel. Mês passado chegou às prateleiras uma versão mais compacta, ainda com os textos integrais ds ambos os livros, mas sem as notas explicativas e com menos ilustrações (mas ainda são as ilustrações originais de Tenniel). A tradução de Maria Luiza Borges ganhou o prêmio Jabuti em 2002. A edição é encadernada em capa dura, impressa em papel pólen (e, devo dizer, que é extremamente agradável de folhear). Mais convidativo ainda é o preço – R$ 19,90.


Edição da Cosac Naify
Quando lançada, a edição da Cosac Naify teve um hype quase tão grande quanto o do filme, a ponto de haver duas edições, uma normal, e outra “de colecionador”, que vem dentro de uma embalagem em forma de caixa. O projeto gráfico de Luciana Facchini (entrevistei ela aqui, sobre a capa do Moby Dick) associa o livro, nos cantos arredondados e nas texturas das páginas entre os capítulos, à um baralho. As ilustrações são fotografias de Luis Zerbini feitas com recortes e fotografadas com iluminação teatral. A tradução é de Nicolau Sevcenko e se limita apenas ao primeiro livro, Alice no País das Maravilhas. O livro é impresso em papel couchê.
Tenho que dizer que, nadando contra a maré, não sou grande fã dessa edição. O projeto gráfico sem dúvida é uma boa sacada, especialmente a embalagem-caixa-de-baralho. Mas o realismo e a sensação táctil de uma fotografia parecem muito mais limitar do que expandir o texto a que se refere, ao contrário de uma ilustração feita à mão (o realismo dessas fotos e suas sacadas visuais não parece deixar espaço para a imaginação do leitor), e talvez pelo fato do livro ser em papel couchê, parecem muito mais adequadas à um editorial sobre Alice, do que a complementar o texto do livro. E, embora repletas de soluções inteligentes, convenhamos, não são muito empolgantes em relação à história (e sim, entendo que aqui se entra numa questão extremamente subjetiva e de gosto pessoal). O livro custa R$ 45,00, e a edição de colecionador está esgotada.



Edição da Salamandra
Dividida em dois volumes (País das Maravilhas e Através do Espelho), que vem dentro de uma caixa (que, apesar de bonita, deixam o conjunto desnecessariamente pesado), a edição da Salamandra tem ilustrações da premiada ilustradora inglesa Helen Oxbury que modernizam o visual da história, saindo o ar vitoriano e dando espaço a um visual mais contemporâneo - algumas ilustrações do livro podem ser vistas no hotsite da editora. São um exemplo do que disse em relação à minha implicância com as ilustrações da edição da Cosac Naify: o desenho à mão convida à exploração. Fosse eu uma menininha de dez anos, essa edição seria perfeita para mim. A tradução de Marcos Maffei. Das versões disponíveis, é a mais cara – R$ 87,90.


Edição da Objetiva
O grande chamariz dessa edição é a tradução do cineasta Jorge Furtado, que torna o livro mais acessível ao público infanto-juvenil. Compreende apenas o primeiro livro (País das Maravilhas) e num primeiro momento, a capa me remete as edições da Globo dos livros infantis de Érico Veríssimo (deve ser pelo uso de cor pastel chapada como fundo). Ainda não vi essa edição nas prateleiras, e não encontrei referências às ilustrações. Atualizado: vi o livro nas prateleiras. As ilustrações são de Mariana Newlands, e atualizam a história para o mundo contemporâneo. É uma edição bonita e bem simpática, com um formato quadrado maior que a da Zahar e menor que a da Cosac Naify. O livro custa R$ 33,90.

* * *

Por questões de bolso e porque achei a edição bem simpática no formato e no preço, acabei optando pela edição da Zahar. Curiosidade à parte, das edições listadas é a única a ter uma faixa promocional envolvendo o livro, com o logo oficial do filme e a marca Disney, o que, imagino, deve funcionar como bom chamariz de vendas em relação às demais edições. Outras edições que não cheguei a colocar aqui são as da L&PM, que tem os dois livros em edições separadas com capas funcionais que utilizam versões coloridas das ilustrações de Tenniel.

Há mais uma infinidade de edições por editoras menores que não vale a pena citar, mas para a eventual galeria dos horrores, dê uma olhada nas capas da Martin Claret para País das Maravilhas e para Através do Espelho (em versão Chiquititas).

5 comentários:

Nika disse...

Samir

Estou absolutamente encantada com o teu blog. É como encontrar algo que faltava. Como apaixonada que sou por livros, ler teus comentários cheios de inteligência e bom gosto realmente me encantou. Já tinha lido teu maravilhoso post sobre as capas feias. As da Martin Claret sempre me fizeram chorar e eu nunca entendi porque as pessoas me achavam louca ao dizer que não teria nem o melhor dos textos com uma capa horrorosa daquelas.
Agora me deparo com este post sensacional sobre as capas de Alice... Você não me deixou opção. Fidelizei seu blog e agradeço por escrevê-lo.
Abraço
Nikelen

Samir Machado disse...

Nika,

Fico extremamente feliz pelo teu comentário - além do fato óbvio de que adoro elogios, design de livros sempre foi uma paixão minha, e não encontro muitos blogs em português discutindo os livros nesse aspecto, então a idéia de criar esse espaço para ter-se essa discussão me pareceu ideal. Pretendo ir atualizando esse blog sempre que possível, com o que surgir de interessante pelas prateleiras. E se tiver dicas ou sugestões, é só mandar.

Abraços,
Samir

Nika disse...

Oi Samir

Os elogios são consequência do seu trabalho e você merece. Mas pedir sugestões foi seu erro, rsrs.
Desculpe, mas tenho uma martelando na cabeça desde o post das capas feis. Adoraria ler sua opinião sobre as capas que usam fotos de filme em comparação com capas de design original. Se achar que a sugestão vem a calhar...
Abraço

Mi Müller disse...

Samir que encanto o teu blog! Sou apaixonada por livros, é meu assunto favorito :D e as capas são sem dúvida um aspecto que rende muito debate e discussão. Adorei tuas análises das capas, e vou endossar a sugestão da Nika, para fazeres uma análise dos livros com fotos dos filmes em edições posteriores à estreia.
Parabéns pelo belo trabalho que tens feito, teus artigos são primorosos.
estrelinhas coloridas...

Gabriel Lemos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

AddThis